Conceito estético do "Gosto"

© Texto de João Werner


O gosto surge no século XVIII como o critério pelo qual se julga o sentimento. Para a estética daquela época, o sentimento seria a atividade própria da experiência estética.

Isto significa que o conceito de gosto não se refere a esta ou aquela qualidade percebida no mundo mas, sim, à características subjetivas presentes nos apreciadores.

O gosto seria a possibilidade de uma comunhão entre os seres humanos. Pode-se dizer que há uma comunidade de todos aqueles que gostam deste ou daquele objeto.

Há, por exemplo, uma comunidade de sentimento entre todos os que gostam de Beethoven, ou entre os que gostam de arte abstrata. Talvez, o melhor exemplo desta comunhão de gosto entre pessoas sejam os, assim chamados, "fãs clube", isto é, associações de pessoas que se reúnem porque gostam deste ou daquele grupo musical ou cantor.

O gosto estatístico

Embora muitos concordem que gosto não se discute, pode-se determinar um critério objetivo do gosto ao se observar os sentimentos mais usuais da alma humana, sem que se pretenda que estes sentimentos sejam os mesmos em todas as pessoas e em todas as situações.

Do que gostamos? A conhecida aferição da audiência de programas televisivos, por exemplo, nos dá uma vaga idéia do gosto do consumidor,  daquele que tem recursos para dispender na aquisição de bens culturais.

Um cd musical que atinge as paradas de sucesso, por exemplo, nos informa sobre os sentimentos da maioria. Abaixo, vemos dois exemplos da aferição estatística do gosto coletivo em relação à dois produtos culturais, a música e o cinema.

Relação dos discos mais vendidos
Relação dos 10 álbuns (vinil + CD + DVD) mais vendidos de todos os tempos.
Fonte da informação: Wikipedia (2015).
Maiores bilheterias do cinema
As 15 maiores bilheterias de todos os tempos no cinema.
Fonte da informação: Wikipedia (2015).

É importante ressaltar que, com estas estatísticas, nós não estamos fazendo nenhuma afirmação acerca da qualidade dos objetos culturais que são apresentados nestas tabelas. Estes álbuns e filmes NÃO são os melhores de todos os tempos apenas por terem sido os mais consumidos. Estas tabelas acima falam, apenas, sobre o gosto destes consumidores, em um determinado momento do tempo.

Além disso, por estes objetos serem também objetos comerciais, há outros fatores aqui envolvidos, tais como, por exemplo, a maior ou menor publicidade em torno a estes bens culturais, o que, é sabido, influencia e amplia o seu consumo.

Deixe seu comentário sobre a Aula de Arte

Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter e receba as últimas novidades postadas no site.

Venda do livro "A figura na Comunicação Visual" na livraria da Amazon Venda do livro "Ensaios sobre arte e estética" na Amazon Livro de visitas O que ler? Sala de Imprensa Exponha sua arte Últimas notícias Newsletter Banners Nosso e-mail
Introdução Belo
(NOVO!)
Sublime Catarse Gosto Trágico Grotesco Prazer Imaginação
(NOVO!)
Admiração
(NOVO!)
Estranhamento Empatia Feio
(NOVO!)
Cômico
(NOVO!)
Estética e Biologia Ilusões visuais

Página inicial História da Arte Comunicação visual Links de Arte na WEB Galeria de arte