Conceito estético da "Catarse"

© Texto de João Werner


O venerável conceito de Aristóteles representa o alívio emocional que pode ser sentido logo após apreciarmos certas obras culturais.

A palavra catarse tem origem médica, sendo usada com o sentido de "purificar", "purgar", "evacuar" ou "extrair" um mal que afligiria o ser humano. É o ato de expulsar, para fora de si, aquilo que nos adoece.

Sendo assim, Aristóteles afirmava que a apreciação de certas obras pode nos aliviar a alma de emoções fortes, que nos perturbem ou aflijam. As emoções seriam purgadas da alma.

Certas obras da cultura teriam, assim, um valor terapêutico.

Portanto, seria um pressuposto para a ocorrência da catarse o necessário envolvimento emocional entre o apreciador e a obra de arte em questão. Isto é dito pois, muitas obras culturais são produzidas com o intuito de apenas agradar o apreciador, sem pretender qualquer envolvimento emocional. Desta maneira, estas obras "agradáveis" não são propícias à catarse.

A obra cultural catártica é intensamente emotiva. Ela pede de seu apreciador uma reação de tristeza profunda ou de riso incontrolado. Pede a ira desbragada ou o medo paralisante. Depois de chorarmos e rirmos com nossos heróis imaginários, segundo Aristóteles, alcançamos aquele estado de alívio, de pacificação das emoções.

A catarse tem, por isso, fortes implicações políticas, ao reduzir tensões sociais de cunho emocional. Por exemplo, quando o Brasil ganha uma copa do mundo, o país relaxa, e os graves contrastes sociais são, ao menos por um instante, esquecidos na comemoração da vitória.

Alguns exemplos da catarse

Copa do Mundo de 1970
As atividades esportivas são exemplos de ocorrência da catarse. Tanto para os atletas envolvidos quanto para o público, a vitória é o clímax, onde se descarregam tensões e energias.
foto: Sportv.
Novela Irmãos Coragem, da Rede Globo
As novelas de televisão são uma importante fonte de catarse no mundo contemporâneo. Novelas tais como a "Irmãos coragem", vista acima, da Rede Globo, emocionam seus espectadores e a vitória dos bons sobre os maus e sobre as injustiças provoca o alívio em todos.
fonte: Rede Globo.
Comédia O garoto
O riso também tem como conseqüência a libertação de fortes emoções. Rir de situações dramáticas, tais como o riso em algumas comédias de Chaplin, por exemplo, pode nos aliviar do stress da vida.
"O garoto" (1921), filme de Charlie Chaplin.
Site Oficial de Chaplin.

Deixe seu comentário sobre a Aula de Arte

Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter e receba as últimas novidades postadas no site.

Venda do livro "A figura na Comunicação Visual" na livraria da Amazon Venda do livro "Ensaios sobre arte e estética" na Amazon Livro de visitas O que ler? Sala de Imprensa Exponha sua arte Últimas notícias Newsletter Banners Nosso e-mail
Introdução Belo
(NOVO!)
Sublime Catarse Gosto Trágico Grotesco Prazer Imaginação
(NOVO!)
Admiração
(NOVO!)
Estranhamento Empatia Feio
(NOVO!)
Cômico
(NOVO!)
Estética e Biologia Ilusões visuais

Página inicial História da Arte Comunicação visual Links de Arte na WEB Galeria de arte